VOLTAR

José António Luz

Presidente do Núcleo Espírita Rosa dos Ventos

 

1.   Quando e como você ingressou na Doutrina Espírita?

     Ingressei na Doutrina Espírita no ano de 1970, contava então dezoito anos de idade. Quase como todas as crianças, fui criado num lar católico e sempre tive algumas dúvidas relacionadas com a vida e a morte, a que ninguém conseguia responder. Entretanto alguns familiares foram regressando à Pátria da Luz e a certa altura comecei a sentir forte perturbação na zona do campo de forças cardíaco, percorri vários médicos da especialidade, várias e diferentes correntes religiosas e o problema cada vez agrava-se mais, até que me falaram de um casal (Sebastião Castro e esposa)  que faziam determinadas reuniões em sua casa, e fui assistir ao trabalho mediúnico, a partir  daí minha vida mudou. O problema de saúde foi resolvido e o estudo da Doutrina Espírita até hoje continua a ser a grande orientadora de minha vida e de meus familiares.

 
2.   Porquê o Espiritismo?

     Por ser aquele que me consolou e esclareceu e também ao amigo que se abeirou transmitindo sua enfermidade e que me chamou à realidade e do qual ainda hoje agradeço-lhe pelo facto. Presentemente tanto eu quanto ele trabalhamos em prol da Doutrina Espírita na sua difusão.
 

3.  Como Espírita, quem é José António Luz?

     Sou uma pessoa normal, como qualquer outra, tenho a minha profissão, que é delegado comercial, e nas horas vagas todo o tempo é dedicado ao Núcleo Espírita Rosa dos Ventos.  
 

4.   Face aos três pilares fundamentais que sustentam o Espiritismo, Ciência, Filosofia e Moral, qual entende ser o mais importante e porquê?

     Não podemos dissociar as três vertentes da Doutrina Espírita, o codificador (Allan Kardec) foi bastante esclarecedor neste campo, porque colocou oportunidade para todos puderem trabalhar.

     Podemos ver então homens de Bem, dedicados à ciência pesquisando os fenómenos de comunicação entre o Além e o Aquém, bem como outras pesquisas para o Bem-estar da Humanidade. Outros enveredando pelo campo da filosofia, procurando como ideias novas, esclarecer o Homem velho para que se transforme no novo Homem de Bem e por fim aqueles que se dedicam a todo o trabalho voltado para a evangelização moralizadora, afim de que a educação possa sair privilegiada, sobretudo a partir da infância para que possam crescer como verdadeiros Homens de Bem.       
 

5.   O Espiritismo é uma Ciência ou uma Religião?

 Qual a principal mensagem espírita?
     Como bem retrata Allan Kardec no livro “O que é o espiritismo?”,  preâmbulo, pág.15: “O espiritismo é uma ciência que trata da natureza e destino dos espíritos, bem como de suas relações com o Mundo Corporal, e nesta perspectiva não podemos negar-lhe o carácter religioso, aqui aconselhámos a leitura do livro “O que é o espiritismo?”.

     O espiritismo tem por finalidade combater a incredulidade, fornecendo provas válidas da existência da Alma e da vida Futura; como disse Allan Kardec. Ele se dirige aqueles que em nada crêem ou que duvidam de tudo, respeitando tudo e todos.
       

6.  Qual a importância da educação na vida do Homem?

Lembrámos aqui, Henry Pestalozzi e o seu método para educar crianças, de forma a que elas pudessem crescer de forma equilibrada para que no estado de adultos pudessem enveredar por práticas constantes de bondade e fraternidade. Demonstrando assim à sociedade que seus espíritos foram burilados no melhor período, que é a infância.

    

7.   Por quais motivos a evangelização tornou-se tão importante nos dias de hoje? Para que serve o Evangelho no Lar?

     Nos dia de hoje, tão turbulentos, em que o ser humano virou muito materialista, são cada vez mais aqueles que chegam à casa espírita em busca de respostas e de algo que até ali não tinham encontrado. A evangelização é muito importante para meus Amigos inquietos, perturbados no seu íntimo porque os faz acalmar um pouco e aos poucos vão abrindo as suas comportas espirituais, deixando penetrar a Luz da Verdade.

     O Evangelho no Lar, tem como objectivo reunir a família em seu espaço, para Orar em favor do agregado familiar, daqueles que possamos conhecer, para manter o equilíbrio no lar, através de conversação fraterna.

 

8.  A mediunidade e a assistência social são prioridades no Espiritismo?

     Se analisarmos bem estas questões, verificamos que o intercâmbio entre os dois planos da vida sempre esteve presente, nos dias de hoje e em especial nas casas espíritas onde os médiuns se preparam através da leitura edificante e no desenvolvimento de tarefas nobres. Abrem campo apropriado para que espíritos servidores da seara de Jesus possam trazer-nos ensinamentos úteis, bem como orientações tão necessárias para nossas vidas. No entanto, eles nos dizem que não podem fazer o que nos compete a cada um de nós, logo, nos deixam em suas orientações, que é necessário o estudo doutrinário e principalmente a prática da solidariedade, da caridade, do perdão para que a reforma interna de cada um aconteça.

     Quanto à assistência social, a mesma é útil, para que possamos exercitar a darmos um pouco de que é nosso, no entanto, a benefício de todos, deve ser analisado o carácter da casa as condições para o fazer, e material humano voluntário para este tipo de acção social. Dentro da casa espírita existem muitas formas de praticar a assistência social.
 

9.  O que se pode pensar do livre arbítrio? Até que ponto pode o Homem dele usufruir?

     Não temos dúvidas de que somos nós que traçamos nossos carreiros de passagem rumo à evolução, pela liberdade de escolha.

     André Luiz, no livro “Nosso Lar”, nos esclarece que o espírito ao passar pelo departamento de reencarnação elabora seu programa de vida a realizar no período de encarnado na vida física, tudo está de acordo com o passado de cada um e as provas a passar para sua libertação. No entanto, existem espíritos com débitos muito graves, a quem é imposta a encarnação para o bem deles, uma vez que não têm discernimento para escolher suas vidas, ou seja, a lei cósmica funciona aqui como grande equilibradora de forças desorganizadas nos espíritos bastantes endividados para com a lei divina.
 

10.  O que existe depois da Morte física? A Morte é o fim de tudo?

     Depois da morte física, a vida continua activa mais do que nunca, o espírito é eterno, preserva sua individualidade, antes, durante e depois de cada encarnação. Os espíritos evoluem sempre, nunca regridem.

     Os espíritos pertencem a diferentes ordens, conforme o seu grau de perfeição que tenham alcançado:

Espíritos puros, que atingiram a perfeição máxima;

Espíritos bons, em que o desejo do bem predomina;

Espíritos imperfeitos, que caracterizam-se pela ignorância, pelo desejo do mal e pelas paixões inferiores;

De salientar, que depois da morte biológica, nosso trabalho é constante em escolas espirituais apropriadas às nossas características, preparando-nos para um futuro regresso ao mundo das formas.
 

11.  O que está faltando à Criatura Humana, para que ela tenha convicção da continuidade da vida após a morte?

     A Humanidade está a sair da fase de sua infância educativa, onde os credos religiosos são de uma enorme importância. “O conhecer a verdade para que nos liberte”, tem grande profundidade, essa aprendizagem é feita de uma forma lenta em que o esforço de cada um se realizará, não importa quando ou em que lugar, terá que ser o homem pela sua auto-educação a buscar a verdade.

     Allan Kardec no livro, “O livro dos espíritos”, nos diz: “ Os espíritos anunciam que chegaram os tempos marcados pela providência para uma manifestação universal e que, sendo Eles os ministros de Deus e os agentes de sua vontade, têm por missão instruir e esclarecer os homens, abrindo uma nova era para a regeneração humana”.
 

 12.   Você crê que a ressurreição de Jesus foi uma demonstração clara de que a reencarnação existe?

     A ressurreição nos demonstra a continuidade da vida após a morte do físico. Quando Jesus aparece em Espírito (ou corpo espiritual) a Maria de Magdala e conversa com aquela mulher convertida aos seus ensinamentos, pedindo-lhe que não o tocasse pois ainda não tinha subido ao Pai, mas enviou uma mensagem por Magdala aos seus companheiros de evangelização, que em breve os visitaria para consolar. O que veio a acontecer durante alguns dias até ao momento do Pentecostes, ou outorga das faculdades mediúnicas aos seus amigos incentivando-os a sair a pregos.

     Reencarnação é a volta do espírito à vida corpórea para a execução de novas experiências nos vários campos de aprendizagem progressiva rumo à evolução.
 

13.   Como está a difusão da Doutrina Espírita em Portugal?

     Neste momento existem a funcionar em Portugal, cerca de 57 associações espíritas, todas elas devidamente legalizadas perante as leis vigentes em nosso pais e também associadas à Federação Espírita Portuguesa que tem realizado um trabalho notável para promover alguns documentos importantes, como são, a “orientação ao centro espírita”, “trabalho de passes”, o trabalho infatigável na área infanto-juvenil, a criação de directores regionais para a efectivação da união das casas espíritas. No entanto, o grande movimento difusor tem que ser realizado pelas casas espíritas, que o tem vindo a fazer até hoje de uma maneira muito nobre e séria. Gostaria de salientar aqui também a A.D.E.P. (Associação de divulgadores do espiritismo em Portugal), que têm contribuído também de uma forma bastante importante para o esclarecimento da doutrina espírita em Portugal, com seu programa de actividades, colóquios, seminários, entrevistas e o seu site na Internet muito bem conseguido para difundirem  diariamente os programas e actividades das casas espíritas por esse país fora.

     Bem haja a todos que se esforçam pela divulgação da doutrina dos espíritos. Vosso trabalho sério e saudável será recompensado.
 

14.  Porquê que em Portugal se confunde Espiritismo com cultos de magias, feitiçarias e bruxedo?

     Toda a prática espírita é Gratuita, como orienta o princípio moral do evangelho, “Daí de graça o que de graça recebestes”.

     A prática espírita é realizada com simplicidade, sem nenhum culto exterior, dentro do princípio cristão de que Deus deve ser contemplado em espírito e verdade. O espiritismo não tem sacerdotes, Não adopta nem usa em suas reuniões e em suas práticas: altares; imagens; andores;  velas; incenso; procissões; sacramentos; concessões de indulgência; paramentos; bebidas alcoólicas ou alucinógenos; talismãs e amuletos; horóscopos e cartomancia; cristais e búzios, ou quaisquer outros objectos, rituais ou formas de culto exterior.

     O espiritismo não impõe os seus princípios, convida os interessados em conhecê-lo e a submeter os seus ensinos ao crivo da razão, antes de aceitá-los.

     Concluímos então que a confusão, está na falta de conhecimento de certas pessoas que encontram caminho mais fácil em misturas do que conhecer a realidade da verdadeira Doutrina Espírita.
 

15.   Como é ser um autentico cristão?

     O carácter do verdadeiro cristão será analisado pelo esforço que faz para sua transformação moral, convivência fraterna entre os companheiros, amigos e familiares, desconhecidos e até os supostos inimigos, pelos exemplos que coloca em prática conforme os ensinos que vem aprendendo pelo estudo.
 

16.  Que atitudes deveriam ser adoptadas pelos Espíritas para o fortalecimento e reconhecimento da Doutrina Espírita?

     Penso que ainda dispersamos muitas energias com questões muitas vezes ambíguas. Não temos dúvidas que seremos reconhecidos quanto mais humildes e unidos nos tornar-mos.

     Allan Kardec, no livro “Obras Póstumas – constituição do espiritismo”, item 41 diz-nos: “ O espiritismo é uma questão de fundo: prender-se à forma seria puerilidade indigna de grandeza do assunto”. Daí vem que os centros espíritas que se acharem penetrados do verdadeiro espírito do espiritismo, deverão estender as mãos uns aos outros fraternalmente e unirem-se para enfrentar os inimigos comuns, a incredulidade, ignorância e o fanatismo.

     Allan Kadec, no livro “O Evangelho Segundo o Espiritismo”, em a missão dos espíritos, o espírito de Erasto nos diz o seguinte cap.20; item 4: “Ide, pois, e levai a palavra divina; aos grandes que a desprezarão, aos eruditos que exigirão provas, aos pequenos e simples que a aceitarão; porque , principalmente entre os mártires do trabalho, desta provação terrena, encontrareis fervor e fé”. “ Arme-se a vossa falange de decisão e coragem! Mãos à obra! O arado está pronto; a Terra espera, Arai!”.
 

17.   Existem indivíduos que se apegam a pessoas ou médiuns e não à Doutrina Espírita, desiludindo-se. Qual a sua opinião?

     A mediunidade, que permite a comunicação dos espíritos com os homens é uma faculdade que muitas pessoas trazem consigo ao nascer, independentemente da religião ou da directriz doutrinária de vida que adopte. A prática mediúnica espírita só é aquela que é exercida com base nos princípios da Doutrina Espírita e dentro da moral cristã. O médium é uma pessoa comum como qualquer outra, tem seu lar, família, suas responsabilidades profissionais, de onde sobrevem o seu sustento e o dos seus. Deve ser amparado e incentivado nas tarefas a realizar mas nunca endeusado, porque pode trazer perturbações e até o afastamento do médium de sua nobre tarefa.
 

18.  Qual a tarefa do Espiritismo diante de tantas dificuldades hoje existentes?

     Como dissemos anteriormente, o espiritismo foi programado e revelado pelos Espíritos Superiores, na condição de ministros de Deus, logo a Doutrina Espírita tem origem divina. Tem por missão instruir e esclarecer os homens, abrindo uma nova era para a reformação da Humanidade.
 

19.   Existem muitas ideias inovadoras no meio Espírita. Você acha que o Espírita deve inovar ou renovar-se?

     Tudo depende do tipo de inovação, no entanto, minha opinião vai para que todo o espírita deve encetar esforços para renovar-se, deixando o Homem Velho ao qual se vem encontrando ligado e revestir-se do Homem Novo, com um pensar rejuvenescido e agindo em conformidade.
 

20.  Surgem, no meio Espírita, ideias causando polémicas, como por exemplo, o problema de que os Livros da Codificação Espírita de Allan Kardec estão ultrapassados.

Comente esta problemática.

     As obras da codificação espíritas encontram-se hoje actualizadas como o estavam em meados do século dezanove,  estão ultrapassadas, com todo o respeito que essas pessoas me merecem, aqueles que defendem essas ideias por certo nunca as leram ou se o fizeram foi de forma ligeira, sem entender-lhe a verdadeira grandeza.
 

21.   Como explicar a escalada de violência, através do terrorismo, das guerras, da violência doméstica, do abuso sexual de menores, tráfico de órgãos?

     Como já mencionámos, os espíritos pertencem a diferentes ordens de evolução. Deus, concede a todos oportunidades de poderem rectificar suas vidas. O nosso mundo é considerado de expiações e provas, campo de reparação em que uns dão largas aos seus instintos violentos, outros devotam fanatismo religioso, outros ainda sofrendo em suas vidas as dores que eles mesmos infligiram a outros em vidas passadas. A lei cobra de cada um as dívidas que terão para com a lei universal, recebendo sempre em conformidade com o que executamos hoje ou mais tarde.
 

22.  O mundo todo grita pela Paz. No entanto, os arsenais bélicos são cada vez maiores e a ameaça de guerra de extermínio ronda as nações. Como encontrar a Paz?

     A Paz será encontrada, quando o ser humano cansado de sofrer as suas próprias incúrias e desvarios, encetar a viagem rumo á reconstrução de um mundo melhor. Partindo em primeiro lugar por renovar seu mundo íntimo, a partir daqui não tem mais necessidade de guerrear e busca a Paz, pelo esforço honesto, no desenvolvimento de actividades nobres para o desenvolvimento da Humanidade.
 

23. Qual a importância da casa espírita? Se usufruir do passe magnético fico curado das maleitas físicas e psíquicas?

     A casa espírita funciona como escola, hospital, pode e deve ser a extensão de nossos lares, cuja finalidade é esclarecer quem ali chegar em busca de amparo para suas vidas, nos dois lados da vida.

     Quanto ao passe magnético, Hermínio Miranda em “Diálogo com as sombras” e André Luiz, cap.15 no livro “Evolução em dois mundos”, nos esclarecem:

     “Pelo Passe Magnético, no entanto, notadamente aquele que se baseia no divino romancial da prece, a vontade fortalecida no bem pode soerguer a vontade enfraquecida de outrem, para que essa vontade, novamente ajustada á confiança magnetize naturalmente os milhões de agentes microscópicos a seu serviço afim de que o estado orgânico, nessa ou naquela contingência, se recomponha para o equilíbrio indispensável”.

E acrescenta:

“Toda queda moral, nos seres responsáveis, opera certa lesão no hemisfério psicossomático ou perispírito, a reflectir-se em desarmonia no hemisfério somático ou veiculo carnal, provocando determinada causa de sofrimento”.

     O Passe Magnético é sempre valioso no tratamento devido a enfermos de todas as classes, desde as crianças de tenra idade até aos adultos. Reconhecendo-se no entanto, ser menos rico de resultados imediatos nos adultos, por se encontrarem jungidos á inconsciência temporária, por desajustes complicados do cérebro. Caberá ao médium exercer através da prece a ligação com os planos mais elevados da vida, para poder contar com a presença dos instrutores que atendem a tais tarefas da Providencia Divina; nos assevera André Luiz em “Mecanismos da Mediunidade”.
 

24.  Como é o dia-a-dia de um dirigente espírita? Qual o motivo que fez candidatar-se a Presidente do N.E.R.V.?

     O dirigente espírita é uma pessoa normal, sem qualquer tipo de privilégio na casa espírita aonde actua. O dirigente espírita vive do seu trabalho honesto durante o período em que está compremetido com a sua actividade profissional, tem no agregado familiar suas responsabilidades para com a vida na matéria.

     O motivo que me fez candidatar-me ao N.E.R.V., foi quando o amigo Sebastião Castro (actualmente desencarnado), por cansaço, não quis continuar como presidente. Como os companheiros da casa espírita não quiseram assumir tais responsabilidades, foi então que o meu nome foi sugerido e como sempre democraticamente fui eleito presidente desta humilde e nobre casa espírita. Sou um incansável divulgador da Doutrina Espírita e do N.E.R.V.,  a renovação dos dirigentes nesta casa surgirá a seu tempo e sem sobressaltos.
 

25.  Ao longo destes 25 anos de existência do N.E.R.V., certamente que houve momentos felizes e momentos menos felizes. Conte-nos alguns desses momentos marcantes como colaborador do N.E.R.V.?

     Na realidade ao longo de 25 anos de colaborador do N.E.R.V., existiram muitos momentos de rara beleza para nossa vida, se escolher um desses momentos em detrimento de outros, seria relegar esses para segundo plano. Então gostaria de guardar esses momentos como dádivas de Deus em nossas vidas.

     Quanto aos momentos menos felizes, serviram e servem os mesmos para que possamos aprender perante as lições do Evangelho.

      A esquecermos todo o tipo de leviandades, e enaltecermos sempre o que há de bom em cada criatura, tudo na vida, o bom e o mau, faz parte de nosso aprendizado.

Não esqueçamos tudo quanto é bom e agradável para construir a Paz e a concórdia.
 

26.  O N.E.R.V., conclui-o  com imenso sucesso as 2ªs Jornadas da Actualidade do Pensamento Espírita. Nesta altura está a promover o 2º Concurso de Poesia Espírita Rosa dos Ventos a nível nacional.

Quais são os objectivos destes eventos organizados pelo N.E.R.V.?

     Este é um ano muito feliz para o N.E.R.V., pois está celebrando o seu 25º aniversário.

     O trabalho na seara espírita deve ser sempre constante e actual. Os temas abordados nas 2ª Jornadas da Actualidade do Pensamento Espírita, foram muito profundos e vieram demonstrar que a casa espírita pode abordar reflexões à Luz do Espiritismo de forma educativa, cativando as pessoas para o interesse em estudar a Doutrina Espírita de uma forma coerente e correcta.

     Quanto ao 2º Concurso de Poesia Espírita, tem um objectivo cultural, demonstrar que o espiritismo tem muitas formas de divulgação e fazer deste evento uma festa de união de todos os espíritas do N.E.R.V. e de todas as casas espíritas de Portugal.

     Não escondam e nem desperdicem vossas poesias, enviem para este concurso até dia 01 de dezembro de 2003.

     No próximo mês de Outubro vamos realizar, o 1º Recital de poesia espírita Rosa dos Ventos e em Novembro vamos realizar, o 1º Encontro de Literatura Espírita Rosa dos Ventos.
 

27.   Por último, qual a mensagem que gostaria de enviar a todos aqueles que procuram pela primeira vez a Doutrina Espírita?

     Sabemos que ao visitar-mos a casa espírita pela primeira vez, move-nos a ânsia de poder-nos curar rapidamente, talvez por julgarmos  que os milagres ou varinhas mágicas existem para libertar-nos dos problemas de uma forma célere.

     Nos informa a Doutrina Espírita que nosso progresso evolutivo tem que ser conquistado pelo esforço de cada um. Deus não cria seres privilegiados, já santos, de forma alguma, os que atingiram tal patamar espiritual, também sofreram dores, aflições, reversos em suas vidas, e em que reparação após reparação no programa das vidas sucessivas, chegaram ao estágio evolutivo que se conhece, então, o mesmo se passa connosco.

     Aconselho, a que possam informar-se na casa espírita, mantendo uma postura paciente e acreditando sempre que dias melhores virão. No progresso de cada ser não existem saltos, tudo deve ser executado de forma compreensiva e o estudo das obras da codificação espírita é fundamental.

 

José António Luz

 Entrevista realizada, no dia 20/08/2003, por Nelson Marques